Jornalismo de investigação em destaque no Congresso da AIPS

O Jornalismo de Investigação em português esteve em destaque no 83.º Congresso da AIPS (Associação Internacional da Imprensa Desportiva) que decorreu em Budapeste. O brasileiro Jamil Chade ganhou o Prémio dessa categoria, entregue na Gala de segunda-feira no Hotel Corinthia da capital húngara – onde decorreu todo o congresso – e participou num painel com Nazim Bessol (Tunísia) e Sebastian Torok (Argentina). 

Jamil Chade esteve na base de boa parte das notícias sobre corrupção nos Jogos Olímpicos e do Campeonato do Mundo que se realizaram no Brasil. “O Mundial acabou com o governador do Rio na prisão, tal como o vice-governador e o governador antecessor destes”, disse o jornalista brasileiro no painel moderado por Gianni Merlo, o italiano que preside à AIPS.

Chade vive hoje na Suíça, trabalha para vários meios (como o portal UOL e o Estado de S. Paulo), é autor do livro “Política, propina e futebol” e considera que as grandes realizações desportivas desencadearam tais problemas que “os 7-1 da Alemanha ao Brasil foram a mais pequena das humilhações”. Para o jornalista brasileiro de origem libanesa, “há muitos problemas e até o facto de uma TV comprar direitos de jogos e de competições põe a questão de saber se essa tv está em condições de olhar jornalisticamente para essas realizações e federações – é preciso que o lado jornalístico esteja completamente separado do resto”.

Continuar a ler