C O M U N I C A D O

O CNID informa que após várias diligências desta Associação de Jornalistas de Desporto e de outras entidades, a Liga Portugal compreendeu as necessidades dos Jornalistas e comunicou aos clubes o seguinte para as próximas jornadas da Liga NOS, a começar já nesta 29.ª, a decorrer:
 
– é permitida a presença junto ao relvado de 15 fotógrafos (eram 7) e de 4 repórteres de rádio (eram 3);
 
– nas tribunas de Imprensa mantém-se a obrigatoriedade de redução para um terço da sua capacidade, mas agora com um máximo de acesso a 40 jornalistas (até aqui eram 25).
 
É evidente que o CNID ainda não está satisfeito com esta alteração, mas apesar de tudo, tendo em conta as questões da pandemia, é já uma melhoria assinalável.
O CNID continuará assim a lutar para que os Jornalistas voltem a ter o acesso necessário aos jogos de futebol da Liga NOS.
 
A Direção do CNID
Lisboa, 30 de Junho de 2020

COMUNICADO

1 – Os Jornalistas das televisões TVI, CMTV e SIC foram ontem impedidos de assistir ao jogo de futebol da I Liga CD Aves-FC Porto, numa decisão injustificada seja qual for a interpretação do regulamento de retoma das competições.

2 – É tão injustificável que o repórter da TVI, pelo menos, já pôde aceder ao estádio para a conferência de Imprensa de final do jogo, até porque era ele que ia fazer as perguntas em nome da “pool” de jornalistas.

3 – Que sentido faz ir fazer as perguntas de um jogo a que não pôde assistir? Isto é uma intolerável entorse ao trabalho dos Jornalistas.

4 – A justificação é a falta de espaço da tribuna de Imprensa do Estádio do Aves, o que, obviamente, não é aceitável.

5 – Sabemos que o protocolo para a retoma do campeonato foi feito com base no documento elaborado para a Bundesliga, mas até no campeonato alemão já foram levantadas muitas das restrições ao trabalho dos jornalistas.

6 – É errado que ainda não tenha havido alargamento do número de repórteres-fotográficos com acesso aos jogos.

7 – A Liga tem tido compreensão pelo trabalho dos Jornalistas mas acreditamos que pode fazer mais, até porque a dimensão jornalística é essencial para o público, para os clubes e para os patrocinadores.

Pel’ A Direção

Manuel Queiroz
(Presidente)

Vítor Santos e Duarte Gomes vencem “Desporto com Ética”

Iniciativa do IPDJ e do CNID premiou 11 jornalistas e colaboradores

Vítor Santos [na foto], na Imprensa Regional, e Duarte Gomes, na Imprensa Generalista e/ou Desportiva, foram os vencedores do concurso de Imprensa “Desporto com Ética”, promovido em parceria pelo IPDJ, através do Plano Nacional de Ética no Desporto (PNED), e pelo CNID. Foi a oitava edição desde concurso, reportada a 2019.

Divulgamos a lista de premiados.

IMPRENSA REGIONAL

1.º prémio – Vítor Santos, pelo conjunto de seis trabalhos publicados no “Jornal do Centro”, “Via Rápida” e “Diário de Viseu”, todos de Viseu;

2.º prémio – Jorge Machado, pelo conjunto de seis trabalhos no “Entre Margens”, de Vila das Aves;

3.º prémio – Fernando Gil Pires, “Mensageiro”, de Bragança.

Foram ainda atribuídas as seguintes MENÇÕES HONROSAS (por ordem de entrada dos textos no secretariado do concurso):

– Sérgio Miguel Cardoso Mendes, “Jornal Fórum”, da Covilhã;

– Angélica Santos, “Maia em Primeira Mão”;

– João Chambino, “Barlavento, de Portimão;

– Rui Almeida Santos/Vítor Carmo (textos) com André Machado/Samuel Martins (fotos), publicados na revista “AFA Magazine”, da Associação de Futebol de Aveiro.

IMPRENSA GENERALISTA E/OU DESPORTIVA

Neste segmento, o júri decidiu por unanimidade criar um “Prémio Especial do Júri”, atribuído aos nove textos que Duarte Gomes apresentou a concurso, com mérito equivalente – seis publicados em “A Bola” e três na “Tribuna” do semanário “Expresso”.

Também por unanimidade, o júri optou não atribuir o 1.º prémio.

Os outros premiados foram os seguintes:

2.º prémio – Cláudia Oliveira, com dois textos publicados em “O Jogo”;

3.º prémio – Luís Cristovão, texto na revista “E”, do “Expresso”.

Foram distinguidos com MENÇÕES HONROSAS os seguintes jornalistas:

– Rui Almeida Santos, “Jornal de Notícias”;

– Ana Ribeiro Rodrigues, “Agência Lusa”.

O júri foi constituído pelo jornalista Alexandre Afonso (ex-Antena 1, actualmente no Canal 11), Jorge Faustino, comentador de arbitragem, e por Murillo Lopes, secretário-geral do CNID – Associação de Jornalistas de Desporto, que coordenou os trabalhos.

A entrega dos prémios está prevista para a Gala do CNID 2020, a realizar em Odivelas em data a definir, depois da marcação inicial (25 de Maio) ter sido inviabilizada pela situação sanitária do país.

_____________

O CNID felicita todos os concorrentes, desejando que na próxima edição se registe um número recorde de concorrentes – jornalistas e /ou colaboradores da Imprensa escrita e/ou online.

______

Alguns dos trabalhos premiados podem ser consultados na página do concurso.