COMUNICADO

CNID condena insultos a Jornalista no Dragão

O jornalista Duarte Monteiro, do site zerozero.pt, foi sábado tratado com pouca elegância por parte do treinador do FC Porto Sérgio Conceição na conferência de Imprensa após o jogo e depois insultado repetidamente pelo assessor de imprensa Rui Cerqueira, um ex-jornalista que devia ter especiais responsabilidades na relação com os seus antigos pares.

Mais tarde, à saída do estádio, o jornalista voltou a ser insultado de forma gratuita pelo assessor de Imprensa do FC Porto, perante o silêncio complacente e cúmplice do próprio presidente do clube. Simplesmente lamentável.

Uma cena que se julgava já impossível de acontecer nos estádios portugueses, e que têm que ser denunciadas quando acontece. E quase 24 horas depois do sucedido ainda não houve um pedido de desculpas, o que se lamenta ainda mais.

Os jornalistas sabem que a sua profissão os sujeita a situações difíceis e sabem conviver com elas. A tentativa de intimidação, da parte de supostos poderes ou de quem quer agradar a certos poderes, é uma das armas mais antigas contra os jornalistas. Só que o Jornalismo tem que estar sempre acima disso e preparado para enfrentar quem o tenta silenciar. A tolerância e o respeito são pilares da sociedade democrática e de um desporto são. No desporto, ser mais forte nunca deve ser sinónimo de ser mais bruto.

P’la Direção do CNID

Manuel Queiroz

Presidente

 

Centenário de Moniz Pereira

O “Senhor Atletismo” foi também réporter e associado do CNID

Nascido a 11 de Fevereiro de 1921, Mário Alberto Freire Moniz Pereira ficou conhecido como “o Senhor Atletismo”, tal foi a importância que teve, ao longo dos seus 95 anos de existência, na e para a modalidade.

Moniz Pereira foi ainda associado do CNID durante cerca de quatro décadas, na qualidade de colaborador de A Bola, da qual foi enviado especial a Jogos Olímpicos, campeonatos do Mundo e da Europa e, ainda, a outras competições internacionais.

Dono de um poder comunicacional ímpar e de uma visão pioneira do treino, Moniz Pereira revolucionou o meio fundo português, ao ponto de se afirmar que foi “um fazedor de campeões”, entre os quais Carlos Lopes, Fernando Mamede, os irmãos Domingos e Dionísio Castro e Rui Silva.

Atleta, professor, treinador e dirigente, Mário Moniz Pereira foi um homem multifacetado, tendo competido em sete modalidades. Professor durante 27 anos no Instituto Nacional de Educação Física, actual Faculdade de Motricidade Humana, Moniz Pereira liderou o Atletismo nacional como técnico e dirigente no seu clube de sempre – o Sporting Clube de Portugal, a que chamava “Universidade do Atletismo” – e, enquanto técnico nacional, esteve presente em 12 Jogos Olímpicos, 13 campeonatos da Europa e em 21 campeonatos do Mundo de Crosse, sendo responsável pela conquista de 10 medalhas, por sete atletas, entre as quais quatro de ouro.

Em 11 de Fevereiro de 2021 Mário Moniz Pereira completaria 100 anos, meta que não atingiu (faleceu aos 95). O CNID – Associação de Jornalistas do Desporto, que o recorda  com particular emoção nesta efeméride, está a preparar ações para assinalar a data.