Deixou-nos o Bruno Neves

Bruno Neves na Exposição ‘Crianças da minha Sé?, no ano passado (Foto de José Carmo)

O repórter-fotográfico Bruno Neves, com uma vida dedicada ao Jornalismo e à Fotografia, foi hoje a enterrar no Porto, aos 85 anos.

Faleceu na quinta-feira, 26 de Janeiro, ele que começou a carreira tarde, aos 38 anos, a fotografar a Revolução do 25 de Abril. Dedicou-se sobretudo ao desporto, em O Jogo, nomeadamente, mas ganhou vários prémios e era um profissional que estava sempre disponível para ajudar os mais novos.

Era bem conhecidos nos meios desportivos e políticos do Porto e ainda no ano passado fez uma exposição de fotografias na Estação de S. Bento,  organizada pelo Museu de Imprensa, da Invicta, sob o tema ‘Crianças da minha Sé’ com fotos de antes e depois do 25 de Abril.

O Bruno não tinha inimigos, apesar de ter ideias muito firmes sobre tudo, do futebol à política. Mas nunca deixava que as suas convicções ultrapassassem o afeto pelos amigos, o gosto pela fotografia e a dedicação à profissão.

Foi também sócio do CNID e, em certos períodos, foi mesmo muito ativo na defesa da profissão no campo do desporto. Era um espírito livre e tinha um olhar muito próprio sobre a atividade desportiva, o profissionalismo e a relação com os Jornalistas.

Bruno Neves fica na história como um dos nomes grandes do Jornalismo.

CNID em debate em Almada

No final de semana 20-22 realizou-se o Congresso do Desporto de Almada
que decorreu no Forum Romeu Correia, na cidade almadense, visando
contributos para a construção do Plano Estratégico de Desenvolvimento
Desportivo (PEDD), em sede do Município local, liderado por Inês de
Medeiros. O CNID foi convidado para participar no derradeiro painel da
iniciativa, subordinado ao tema “O papel do atleta de Alta
Competição”. O secretário-geral da nossa Associação, Murillo
Lopes, moderou na manhã de domingo 22 de Janeiro de 2023 um interessante debate,
em que participaram o campeão de motociclismo Miguel Oliveira e o
veterano corredor de maratona e de crosse, Alberto Chaíça, também ele
detentor de um currículo desportivo valioso. Ambos nascidos e residentes no concelho de
Almada.

Guita Júnior, Sócio nº1, homenageado pelo CNID

 

 

 

 

 

 

 

Guita Júnior, jornalista com 94 Anos, foi homenageado pelo CNID – Associação dos Jornalistas de Desporto no passado dia 17 de janeiro. Tratando-se do atual sócio n.1 do CNID, recebeu dois diplomas no quadro das comemorações dos 55 anos do CNID: o de sócio de mérito e outro exatamente pela sua antiguidade de sócio da nossa instituição.

A cerimónia decorreu na manhã do passado dia 17 na sede do CNID, em Lisboa, com a presença do presidente do CNiD, Manuel Queiroz, e do secretario-geral Murillo Lopes.

Guita Júnior foi jornalista em vários Órgãos de Comunicação Social, nomeadamente Record, Diário de Notícias e Correio da Manhã, onde se reformou já há um quarto de século. Teve também colaboração relevante com outros OCS, nomeadamente A Bola. 

Guita Júnior, que ao longo da sua carreira foi um dos grandes especialistas em ciclismo, cobriu 50 Voltas a Portugal, 16 Voltas a Espanha, 15 Voltas à França, 2 Jogos Olímpicos e um Mundial de Futebol.

Foi um dos fundadores do CNID em 1966 e continua hoje a sua vida associativa.

Guita Júnior, os diplomas e com o presidente e o secretário-geral na sede do CNID

Faleceu Manuel Martins de Sá

Manuel Martins de Sá, que era o sócio nº3 do CNID – Associação dos Jornalistas de Desporto, faleceu no passado dia 1 deste mês de janeiro de 2023. Contava 93 anos.

Durante a sua longa vida, Manuel Martins de Sá foi correspondente em Portugal do diário italiano La Gazzetta dello Sport, além de cronista de “A Bola” durante vários anos.

Em 2021 o CNID – AJD distinguiu-o com um diploma pela sua qualidade de um dos mais antigos sócios e por ter sabido sempre defender os valores de uma profissão que ele respeitava profundamente.

Além disso era um homem de uma grande cultura, desportiva e não só, um a pessoa muito afável, e manteve sempre essa grande ligação ao CNID que todos admirávamos.

À família, o CNID – Associação dos Jornalistas de Desporto envia as mais sentidas condolências.

Novo Ano, é tempo de renovar a ligação ao CNID

Caro (a) consócio (a),

Está a começar um novo ano e, como sempre, queria recordar-lhe que precisa de renovar a sua ligação ao CNID – Associação dos Jornalistas de Desporto, pagando a sua quota.

Porque o ano de 2023 vai ser muito importante, talvez mesmo decisivo.

Para proceder ao pagamento deverá enviar, por correio ou através de transferência bancária para a conta do CNID – IBAN: PT50 0269 0158 0020 4508 11786 os 50 Euros. Se o pagamento for feito através de transferência bancária é imprescindível que nos enviem uma mensagem por e-mail para cnid@cnid.pt.

O CNID continua a trilhar o seu caminho, defendendo aqueles que fazem do Jornalismo Desportivo o seu sacerdócio, como aconteceu várias vezes ao longo deste ano de 2022. Estamos a construir o site campeoesdeportugal.pt, que estará a funcionar dentro de poucos meses, estamos a trabalhar para melhorar o site cnid.pt para ser mais fluída a comunicação com os sócios e com o resto do mundo e também a tratar de criar mais condições para os nossos consócios, com a ligação a marcas e a instituições importantes. No princípio do ano vai haver mais novidades, esperamos.

Em 2023 vai avançar, seguramente, a criação da confederação das associações de jornalistas desportivos de língua portuguesa, que o CNID está a impulsionar, porque num mundo global temos que alargar o círculo, para podermos ser mais fortes. O campeosdeportugal.pt vai abrir as portas e ser um ponto de encontro dos que precisam de informação histórica. São também vetores importantes para o futuro do CNID, que deve ser cada vez mais um clube que tenha um impacto positivo nos jornalistas. Quer nas condições necessárias para o seu trabalho, quer na sua ligação com os colegas do resto do mundo. Quando precisarem de contactos no estrangeiro, contactem o CNID porque de certeza que podemos ajudar.

Continuaremos a distinguir atletas, treinadores e dirigentes na nossa gala anual, como voltaremos, através de um júri alargado, a premiar A Melhor Atleta e O Melhor Atleta de 2022, algo que será conhecido nos últimos dias do ano. E mantemos o nosso Troféu Desportivismo para gestos especiais de ‘fair play’ da parte de atletas, sobretudo os mais jovens, para que os valores do desporto se cultivem desde as mais tenras idades.

E queremos avançar para a criação de um Prémio anual para livros da autoria de Jornalistas Desportivos, porque se trata de uma vertente cada vez mais explorada pelos nossos profissionais e que achamos que se vai expandir.

Não deixaremos nunca de estar na primeira linha da defesa dos Jornalistas, porque é o CNID que está sempre mais próximo e naturalmente mais atento aos problemas que vão acontecendo, às vezes sem se perceber como.

É por isso que 2023 vai ser um ano decisivo e o CNID – Associação dos Jornalistas de Desporto que manter-se muito ativo e muito atento.

A direção do CNID formula os votos de um 2023 com os maiores sucessos profissionais e com muita saúde.

A Direção

API promove cursos gratuitos de capacitação digital

  A Associação Portuguesa de Imprensa (API) está a promover, em conjunto com o Aveiro Media Competence Center e o Google News Initiative, cinco cursos gratuitos de capacitação digital para os profissionais dos media. As inscrições estão abertas e pode ter acesso à informação fundamental através deste link:

https://a-mcc.eu/pt/formacao/

São todos realizados online e ao vivo e têm normalmente quatro sessões mais uma mesa redonda, Todos têm como destinatários editores e jornalistas e começam já dia 10 de janeiro, com um curso de Gestão de Dados, em quatro sessões.

O segundo tem início no dia 12, é sobre Receita Publicitária e nele se falará da criação da sua própria estratégia publicitária, ou da relação entre dados e anúncios.

A 24 de janeiro começa outro e tem o título de “Receitas de leitores”, desenvolvendo conceitos, por exemplo, de como conseguir captar receitas pela interação com os leitores, procurar receitas alternativas ou otimizar o seu funil de leitores.

O quarto começa em fevereiro e tem por título “Estratégia de negócio” e o quinto começa em Março e é sobre “Desenvolvimento de audiência”. Estes dois são compostos por três sessões e uma mesa-redonda.

Uma excelente oportunidade de reforçar os seus conhecimentos nesta áreas tão modernas e importantes e sem custos.

Auriol Dongmo e Pedro Pichardo são Atletas do Ano 2022

Auriol Dongmo, lançadora de peso do Sporting, e Pedro Pablo Pichardo, atleta do Benfica na especialidade de triplo salto, são os Atletas do Ano Feminino e Masculino de 2022 para o CNID – Associação dos Jornalistas de Desporto.

A votação decorreu ao longo dos últimos sete dias e envolveu um júri alargado composto pelos Órgãos Sociais da nossa associação, outros jornalistas, dirigentes e ex-atletas.

Se nas senhoras a vitória de Dongmo é muito evidente, com 64 votos, mais do dobro da ciclista Maria Martins, a segunda classificada, no setor masculino houve dúvidas até ao fim entre Pichardo e Diogo Ribeiro, o nadador de Coimbra e também atleta do Benfica, tal como Pichardo, que só teve menos quatro votos.

Pedro Pichardo repete a distinção do ano passado, enquanto Dongmo sucede a Patrícia Mamona.

Pichardo nasceu em Santiago de Cuba a 30 de junho de 1993 e este ano foi campeão europeu e mundial (neste caso de de pista coberta) e continua uma carreira extraordinária que, aos 29 anos, está ainda longe do fim. Fez 17,50m em Munique, nos Europeus, e 17,95 nos Mundiais. É campeão olímpico, europeu e mundial – algo extraordinário.

Auriol Dongmo foi campeã do mundo de pista coberta e vice-campeã da Europa no lançamento de peso. No primeiro caso lançou a 20,43m, rgistando a melhor marca do ano e também novo recorde nacional absoluto em Belgrado. Com 19,82m foi vice-campeã europeia em Munique, conseguindo assim um novo recorde nacional. A holandesa Jessica Schilder foi a vencedora.

Auriol Dongmo nasceu nos Camarões em 3 de agosto de 1990 mas esta naturalizada portuguesa, ou seja, os melhores atletas deste ano não nasceram no país e são naturalizados – um sinal dos tempos, seguramente.

As votações dos três melhores foram as seguintes:

Feminino:

1 – Auriol Dongmo (Lançamento do Peso)

2 – Maria Martins (Ciclismo)

3 – Bárbara Timo (Judo)

Masculino

1 – Pedro Pichardo (Triplo salto)

2 – Diogo Ribeiro (Natação)

3 – Fernando Pimenta (Canoagem)