AIPS pretende relatório da situação de cada país

O presidente da AIPS pediu a cada associação nacional da Europa para rapidamente produzir um pequeno relatório sobre as consequências deste segundo período de confinamento devido à pandemia de covid 19.

Realizou-se hoje uma reunião por vídeo entre a AIPS (Associação Internacional da Imprensa Desportiva) e a AIPS Europa, em que compareceram quase todas as associações nacionais do continente, entre os quais o CNID, que esteve representado pelo presidente da Direção, Manuel Queiroz.

Gianni Merlo, presidente da AIPS, disse querer conhecer com o maior detalhe possível o que se vai passando, porque “as restrições que estão a ser impostas aos jornalistas não se podem manter e não podem servir para, no futuro, condicionar a presença de jornalistas nos jogos das várias modalidades”.

Merlo anunciou ainda que a entrega dos Prémios da AIPS terá lugar no dia 22 de março, numa cerimónia apenas virtual, e que o E-College terá este ano uma forma diferente, depois de uma primeira edição que foi considerada muito interessante e teve grande êxito.

Continuar a ler

COMUNICADO

CNID condena insultos a Jornalista no Dragão

O jornalista Duarte Monteiro, do site zerozero.pt, foi sábado tratado com pouca elegância por parte do treinador do FC Porto Sérgio Conceição na conferência de Imprensa após o jogo e depois insultado repetidamente pelo assessor de imprensa Rui Cerqueira, um ex-jornalista que devia ter especiais responsabilidades na relação com os seus antigos pares.

Mais tarde, à saída do estádio, o jornalista voltou a ser insultado de forma gratuita pelo assessor de Imprensa do FC Porto, perante o silêncio complacente e cúmplice do próprio presidente do clube. Simplesmente lamentável.

Uma cena que se julgava já impossível de acontecer nos estádios portugueses, e que têm que ser denunciadas quando acontece. E quase 24 horas depois do sucedido ainda não houve um pedido de desculpas, o que se lamenta ainda mais.

Os jornalistas sabem que a sua profissão os sujeita a situações difíceis e sabem conviver com elas. A tentativa de intimidação, da parte de supostos poderes ou de quem quer agradar a certos poderes, é uma das armas mais antigas contra os jornalistas. Só que o Jornalismo tem que estar sempre acima disso e preparado para enfrentar quem o tenta silenciar. A tolerância e o respeito são pilares da sociedade democrática e de um desporto são. No desporto, ser mais forte nunca deve ser sinónimo de ser mais bruto.

P’la Direção do CNID

Manuel Queiroz

Presidente

 

Centenário de Moniz Pereira

O “Senhor Atletismo” foi também réporter e associado do CNID

Nascido a 11 de Fevereiro de 1921, Mário Alberto Freire Moniz Pereira ficou conhecido como “o Senhor Atletismo”, tal foi a importância que teve, ao longo dos seus 95 anos de existência, na e para a modalidade.

Moniz Pereira foi ainda associado do CNID durante cerca de quatro décadas, na qualidade de colaborador de A Bola, da qual foi enviado especial a Jogos Olímpicos, campeonatos do Mundo e da Europa e, ainda, a outras competições internacionais.

Dono de um poder comunicacional ímpar e de uma visão pioneira do treino, Moniz Pereira revolucionou o meio fundo português, ao ponto de se afirmar que foi “um fazedor de campeões”, entre os quais Carlos Lopes, Fernando Mamede, os irmãos Domingos e Dionísio Castro e Rui Silva.

Atleta, professor, treinador e dirigente, Mário Moniz Pereira foi um homem multifacetado, tendo competido em sete modalidades. Professor durante 27 anos no Instituto Nacional de Educação Física, actual Faculdade de Motricidade Humana, Moniz Pereira liderou o Atletismo nacional como técnico e dirigente no seu clube de sempre – o Sporting Clube de Portugal, a que chamava “Universidade do Atletismo” – e, enquanto técnico nacional, esteve presente em 12 Jogos Olímpicos, 13 campeonatos da Europa e em 21 campeonatos do Mundo de Crosse, sendo responsável pela conquista de 10 medalhas, por sete atletas, entre as quais quatro de ouro.

Em 11 de Fevereiro de 2021 Mário Moniz Pereira completaria 100 anos, meta que não atingiu (faleceu aos 95). O CNID – Associação de Jornalistas do Desporto, que o recorda  com particular emoção nesta efeméride, está a preparar ações para assinalar a data.

PRÉMIO “DESPORTO COM ÉTICA”: ABERTAS AS CANDIDATURAS

Estão abertas as candidaturas ao Prémio de Imprensa “Desporto com Ética/2020”, uma iniciativa conjunta do IPDJ (através do Plano Nacional de Ética no Desporto) e do CNID – Associação dos Jornalistas de Desporto.

O prémio visa incentivar e premiar a publicação de textos originais, na Imprensa escrita e online, que versem exclusivamente temas relacionados com a ética no Desporto, e subdivide-se em duas categorias: a) Imprensa Regional e b) Imprensa Desportiva / Imprensa Generalista.

Podem candidatar-se ao Prémio de Imprensa “Desporto com Ética/2020” jornalistas profissionais e/ou colaboradores/as de órgãos de comunicação social em língua portuguesa, com sede em Portugal Continental, nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira ou na diáspora (comunidades portuguesas espalhadas pelo Mundo).

O prazo de submissão de candidatura decorre de 1 a 31 de janeiro de 2021, aceitando-se artigos publicados entre 1 de janeiro e 31 de dezembro de 2020.

Mais informações AQUI.

Carta aos Sócios

O presidente da Direção do CNID – Associação dos Jornalistas de Desporto, Manuel Queiroz, enviou a tradicional carta aos associados, formulando votos de um 2021 bem melhor e apelando à renovação do vínculo com a nossa Associação.

A carta pode ser lida na zona lateral direita da página de entrada.

Os galardoados com os Prémios CNID 2020

Rui Santos (60 anos) tem carreira longa e profícua. Com apurado sentido da notícia e um certo gosto pela polémica, pelo desafiar as consciências em muitas matérias, porque o Jornalismo também se faz de “agitar as águas”. Começou em A Bola, foi colunista do Record, ganhou audiências e notoriedade na SIC. É muitas vezes contestado, sinal de que a sua opinião tem peso no meio do futebol, a área a que dedicou toda a vida profissional. Nunca renegou o Jornalismo e sempre se assumiu como uma voz incómoda, que os poderes tinham e têm de escutar.

José Luís Gageiro dos Reis Moreira (45 anos), nasceu em Lisboa e radicou-se no Porto. Tem feito a carreira no desporto e não só. A sua arte e o seu gosto vão muito além de um tema único. Ligado ao diário desportivo Record desde 1998, tem mais de 20 anos de experiência em todos os desportos e em todos os géneros. É um repórter de grande flexibilidade, atento ao pormenor da notícia, à marca do contexto ou à beleza de um enquadramento natural. Tem construído uma carreira de qualidade, demonstrando também a capacidade de ajudar os outros, sobretudo os mais novos. Ou de ter o seu próprio projeto, como é hoje a Movenoticias, que dirige.

Rádio Hertz – Acompanha sempre os jogos do Sporting de Tomar em hóquei em patins, em casa e fora, o futebol da zona de Santarém, mas também todas as modalidades. Tem um “site” sempre em atualização. Existe desde 1983, o tempo das chamadas “rádios piratas”. As emissões regulares começaram em 1984, entrou na legalidade em 9 de junho de 1989. São mais de 30 anos de luta e de ligação à comunidade, sempre com grande atenção ao desporto. João Franco é o diretor de uma equipa que, se não é grande em número, tem grande coração. Paulo Pereira e Rui Bugalhão são os “homens do desporto”.

Rita Latas (27 anos) nasceu em Lisboa e cresceu em Évora. Foi jogadora federada de futebol e futsal durante 13 anos, tendo começado no Lusitano de Évora, em futebol, numa equipa masculina. É licenciada em Sociologia pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa e obteve o mestrado em Jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social de Lisboa. Ainda durante os estudos universitários, publicou no site “Bola na Rede” e fez reportagens para a rádio “Desporto na Hora”. Profissionalmente, começou em A Bola TV e, em março de 2019, mudou para a Sport Tv. Em 2020 tornou-se na primeira portuguesa a narrar em direto um desafio do primeiro escalão do futebol profissional.

Murillo Lopes (76 anos) tem sido de enorme dedicação ao CNID, de que é secretário-geral. Jornalista reformado, depois de longa e profícua carreira, sobretudo nos jornais, generalistas ou desportivos. António Murillo Oeiras Lopes é incansável na forma como desprendidamente serve o CNID ou na relação sempre correta, leal e de ajuda desinteressada a todos os colegas. Continua a ser um exemplo para todos nós, uma força feita de coragem e de saber acumulado.

Maria Martins (21 anos) nasceu em Moçarria (Santarém) e foi Medalha de Prata no “Europeu” em eliminação, Medalha de Bronze em scratch e Medalha de Bronze no “Mundial” em eliminação. Uma excecional atleta de pista e de estrada e que logo nos juniores deu nota da sua classe em provas internacionais. Os resultados atuais fazem dela já uma das melhores atletas de sempre do desporto português e permitem antever que a carreira atingirá ainda outros pináculos. Neste ano tão estranho, Maria Martins é um raio de esperança.

Norberto Mourão (40 anos), atleta de paracanoagem do Sporting Clube de Portugal, depois individual, sagrou-se em 2020 vice-campeão mundial na prova de VL2 200 metros da Taça do Mundo, disputada em Szeged, na Hungria. Um ano antes, precisamente no mesmo local, garantira a primeira vaga de sempre da paracanoagem portuguesa nos Jogos Paralímpicos, os que estão previstos para Tóquio.

A União Velocipédica Portuguesa – Federação Portuguesa de Ciclismo é a mais antiga federação desportiva do pais, contando 121 anos. O presidente, Delmino Pereira, recentemente reeleito, esta à frente de uma organização que tem tido resultados excecionais nos últimos tempos, algo nunca visto nas outras modalidades, com títulos europeus e mundiais de jovens e de consagrados, masculinos e mesmo femininos, algo ainda mais raro. O ano de 2020 foi mesmo verdadeiramente excecional, com Daniela Campos, Maria Martins, Ivo e Rui Oliveira, Iuri Leitão ou João Almeida, Ruben Guerreiro ou Rui Costa, ou tantos e tantos outros. O Centro de Alto Rendimento de Anadia não pode ser dissociado deste conjunto de resultados, como não o pode ser o selecionador nacional, Gabriel Mendes.

José Manuel Constantino (70 anos), licenciado em Educação Física, foi professor do ensino básico (1973-1986) e docente universitário (1994-2002). Membro do Conselho de Fundadores da Fundação do Desporto (2001), presidente da Confederação do Desporto de Portugal (2000-2002) e do Instituto do Desporto de Portugal (2002-2005). Doutor Honoris Causa pela Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (2016) e Comendador da Ordem do Infante D. Henrique (2016). É presidente do Comité Olímpico de Portugal desde 2013. Hoje em dia é uma das vozes mais escutadas em Portugal sobre Desporto, sendo várias as intervenções relevantes durante o ano de 2020.

Prémios CNID 2020

 
 
A lista dos galardoados com o Prémio CNID 2020 é a seguinte:
 
COMUNICAÇÃO SOCIAL
 
Jornalista – Rui Santos (SIC)
PRÉMIO NEVES DE SOUSA
 
Fotógrafo – José Moreira (Record)
PRÉMIO NUNO FERRARI
 
Rádio – Rádio Hertz (Tomar)
PRÉMIO ARTUR AGOSTINHO
 
Revelação – Rita Latas (SPORT TV)
PRÉMIO VÍTOR SANTOS
 
Dedicação – Murillo Lopes
PRÉMIO RODRIGO PINTO
 
DESPORTISTAS
 
Atleta – Maria Martins (Drops, equipa britânica, ciclismo)
 
Atleta paralímpico – Norberto Mourão (Sporting Clube de Portugal / individual, paracanoagem)
 
Federação – Federação Portuguesa de Ciclismo
 
Prestígio – José Manuel Constantino (Comité Olímpico de Portugal)
PRÉMIO FERNANDO SOROMENHO
 
___________
 
Apesar das contingências, o CNID – Associação dos Jornalistas de Desporto decidiu manter a tradição iniciada em 1966 e atribuir, embora em número inferior ao dos últimos anos, os Prémios CNID 2020.
 
A entrega dos galardões, que estava prevista para Odivelas – Cidade Europeia do Desporto, ocorrerá em data, circunstâncias e local a definir.
 
Recordamos que os galardoados com os troféus de Atleta do Ano (masculino e feminino), atribuídos por um júri alargado, serão conhecidos no próximo dia 30.
__________
 
A Direção do CNID – AJD
Lisboa, 23 de Dezembro de 2020