Prémio de Imprensa “Desporto com Ética”

Entrega dos prémios no dia 11 em Leiria e no Porto

Os galardoados com o Prémio de Imprensa “Desporto com Ética” recebem os galardões na próxima terça-feira, dia 11, em duas cerimónias distintas: os vencedores na categoria Imprensa Regional, da parte da manhã, nas instalações do semanário Jornal de Leiria e os da categoria Imprensa Desportiva e/ou Imprensa Generalista, da parte da tarde, no auditório do Jornal de Notícias, no Porto.

A lista completa dos premiados é a seguinte:

IMPRENSA REGIONAL

1.º Prémio: “A leoa e a águia que fizeram abalar o lançamento do peso em Portugal”
MIGUEL SAMPAIO (Jornal de Leiria)

2.º Prémio: “Futebol no feminino: uma nova geração de campeãs”
DANIELA PARENTE (Notícias de Aguiar)

3.º Prémio: “GD Pedreiras: um projecto de coração onde o pelado parece um tartan”
MARINA GUERRA (Região de Leiria)

Menções Honrosas

“Liderança pelo exemplo”
Rafael Raimundo (Região de Cister)

“Desenvolvimento positivo dos jovens “
Jorge Machado (Entre Margens)

“O papel dos pais na vida desportiva dos filhos “
Vítor Santos (Diário de Viseu)


IMPRENSA DESPORTIVA E/OU IMPRENSA GENERALISTA

1.º Prémio: “Deixou de bisar no jogo para ajudar rival e acaba com a Taça nas mãos”
CLÁUDIA OLIVEIRA (O Jogo)

2.º Prémio: “O desportivismo segundo Dinis Costa”
RUI SANTOS (Jornal de Notícias)

3.º Prémio: “Bandeira da Ética – Os valores são uma construção social”
CARLOS RIBEIRO (Judo Magazine)

Menção Honrosa

“APCVD quer bons exemplos e valores para combater a violência no desporto”
Simão Freitas (Agência Lusa)

Os trabalhos vencedores podem ser lidos na página do Plano Nacional de Ética no Desporto.

Este concurso é promovido conjuntamente pelo PNED – Plano Nacional de Ética no Desporto (Instituto Português do Desporto e Juventude, IP) e pelo CNID – Associação dos Jornalistas do Desporto.

II E-College da AIPS aberto a todos os jornalistas

“Tempo para reconstruir o Jornalismo desportivo” é o tema da segunda edição do e-college da AIPS (Associação Internacional da Imprensa Desportiva), parte do programa cultural da AIPS, aberto a todos os jornalistas do mundo, de forma grátis.

Em tempos difíceis e desafiantes, o e-College é um instrumento vital para estar a par das tendências mais recentes e, ao mesmo tempo, procurar que os alunos vejam todo o contexto: reinventar o jornalismo não pode ser adiado e as “fake news” são só a ponta do icebergue.

O e-college dirige-se a estudantes e a profissionais, permitindo experiências muito enriquecedoras a todos, já que se pode contactar com personagens de grande importância do Desporto e do Jornalismo. É de grande utilidade e este ano tem a vantagem de ser em várias línguas, o que aumentará o seu alcance.

QUATRO LÍNGUAS –  Durante seis semanas, 12 aulas e 24 horas, entre 4 de maio e 11 de junho, têm lugar discussões e entrevistas quer nas sessões globais, com tradução simultânea em quatro línguas (Inglês, Espanhol, Francês e Árabe), quer nas sessões continentais nas línguas apropriadas.

DUAS VEZES POR SEMANA –  O e-College AIPS terá seis sessões globais, às terças-feiras, às 13h de Portugal (2 pm Central European Time), cobrindo um largo espectro de tópicos sobre todas as plataformas, com o envolvimento dos vencedores dos AIPS Media Awards 2020, e uma segunda sessão desenvolvida numa base continental.

MENTORES – Liderados pelo presidente da AIPS, Gianni Merlo, os mentores para esta edição serão Martin Mazur (Argentina), Keir Rednedge (UK), Riccardo Romani (Itália) e Jean Paul Savart (França). Eles estarão nas sessões globais e conduzem depois os tutoriais na segunda sessão da semana. 

É um grande avanço: em 2020, os colegas de todo o mundo vieram ao nosso e-college, agora é o-college que vai a suas casas, proporcionando mais oportunidades para seguirem tendências regionais na língua apropriada, já que os tutoriais continentais terão tarefas personalizadas que poderão ser depois publicadas na reviste e no website da AIPS.

Os tópicos principais para este ano são Fotografia, Broadcasting, Escrita, Investigação, Repóter-robot, “Fake news” e, finalmente, “Transgénero: Ciência vs Ideologia”. Todas as sessões serão conduzidas via Zoom e permitirão a todos os estudantes interagir com os nossos convidados internacionais e com profissionais de jornalismo.

Para conhecer o programa em detalhe clique no LINK para a informação em espanhol ou no link espanhol ou no LINK para a informação em inglês.

Para fazer o seu registo vá ao “site” da AIPS. No local em que lhe pedem o número do cartão da AIPS, caso não seja nosso sócio, deve referir isso mesmo, que não tem cartão.

Se quiser ser membro da AIPS contacte o CNID – Associação dos Jornalistas de Desporto, através de cnid.pt. O CNID é responsável pela emissão dos cartões da AIPS para Portugal, dado que para ser sócio da AIPS também é necessário ser sócio do CNID.

COMUNICADO SOBRE A AGRESSÃO A REPÓRTER DA TVI

A agressão de que foi vítima ontem à noite o nosso colega Francisco Ferreira, repórter de imagem da TVI, no final do jogo Moreirense-FC Porto, é absurda, inaceitável e ignóbil. O CNID condena o ato e pede às forças policiais que tenham mais atenção a casos como este.
 
Francisco Ferreira acompanhava a saída do presidente do FC Porto, que se dirigiu a um câmara da Sport Tv de forma algo intimidatória. Foi só isso que motivou a agressão da parte de Pedro Pinho, conhecido empresário de futebol, que atingiu o nosso camarada com empurrões e pontapés, empurrando-o contra o beiral de uma bancada elevada 6 ou 7 metros sobre o campo de treinos, enquanto Francisco Ferreira procurava defender-se e proteger o valioso material de transmissão que lhe estava confiado.
 
Uma agressão absurda porque sem justificação; inaceitável porque o profissional estava em serviço e o agressor sabe de ciência segura o que é um jornalista; ignóbil porque teve consequências na saúde do profissional da TVI.
 
É inaceitável qualquer agressão e muito menos a profissionais que realizam o seu trabalho em público e em nome do público. Este é um caso em que, antes de ser presente a um juiz, o agressor deve ser condenado sem ambiguidades pela opinião pública, porque os pedidos de desculpas evitam-se. E agredir jornalistas é um crime público.
 
Francisco Ferreira sabe que pode contar com o CNID – Associação dos Jornalistas de Desporto para o que achar conveniente.
 
Lisboa, 27 de Abril de 2021
 
A Direção do CNID

AIPS pretende relatório da situação de cada país

O presidente da AIPS pediu a cada associação nacional da Europa para rapidamente produzir um pequeno relatório sobre as consequências deste segundo período de confinamento devido à pandemia de covid 19.

Realizou-se hoje uma reunião por vídeo entre a AIPS (Associação Internacional da Imprensa Desportiva) e a AIPS Europa, em que compareceram quase todas as associações nacionais do continente, entre os quais o CNID, que esteve representado pelo presidente da Direção, Manuel Queiroz.

Gianni Merlo, presidente da AIPS, disse querer conhecer com o maior detalhe possível o que se vai passando, porque “as restrições que estão a ser impostas aos jornalistas não se podem manter e não podem servir para, no futuro, condicionar a presença de jornalistas nos jogos das várias modalidades”.

Merlo anunciou ainda que a entrega dos Prémios da AIPS terá lugar no dia 22 de março, numa cerimónia apenas virtual, e que o E-College terá este ano uma forma diferente, depois de uma primeira edição que foi considerada muito interessante e teve grande êxito.

Continuar a ler

COMUNICADO

CNID condena insultos a Jornalista no Dragão

O jornalista Duarte Monteiro, do site zerozero.pt, foi sábado tratado com pouca elegância por parte do treinador do FC Porto Sérgio Conceição na conferência de Imprensa após o jogo e depois insultado repetidamente pelo assessor de imprensa Rui Cerqueira, um ex-jornalista que devia ter especiais responsabilidades na relação com os seus antigos pares.

Mais tarde, à saída do estádio, o jornalista voltou a ser insultado de forma gratuita pelo assessor de Imprensa do FC Porto, perante o silêncio complacente e cúmplice do próprio presidente do clube. Simplesmente lamentável.

Uma cena que se julgava já impossível de acontecer nos estádios portugueses, e que têm que ser denunciadas quando acontece. E quase 24 horas depois do sucedido ainda não houve um pedido de desculpas, o que se lamenta ainda mais.

Os jornalistas sabem que a sua profissão os sujeita a situações difíceis e sabem conviver com elas. A tentativa de intimidação, da parte de supostos poderes ou de quem quer agradar a certos poderes, é uma das armas mais antigas contra os jornalistas. Só que o Jornalismo tem que estar sempre acima disso e preparado para enfrentar quem o tenta silenciar. A tolerância e o respeito são pilares da sociedade democrática e de um desporto são. No desporto, ser mais forte nunca deve ser sinónimo de ser mais bruto.

P’la Direção do CNID

Manuel Queiroz

Presidente

 

Centenário de Moniz Pereira

O “Senhor Atletismo” foi também réporter e associado do CNID

Nascido a 11 de Fevereiro de 1921, Mário Alberto Freire Moniz Pereira ficou conhecido como “o Senhor Atletismo”, tal foi a importância que teve, ao longo dos seus 95 anos de existência, na e para a modalidade.

Moniz Pereira foi ainda associado do CNID durante cerca de quatro décadas, na qualidade de colaborador de A Bola, da qual foi enviado especial a Jogos Olímpicos, campeonatos do Mundo e da Europa e, ainda, a outras competições internacionais.

Dono de um poder comunicacional ímpar e de uma visão pioneira do treino, Moniz Pereira revolucionou o meio fundo português, ao ponto de se afirmar que foi “um fazedor de campeões”, entre os quais Carlos Lopes, Fernando Mamede, os irmãos Domingos e Dionísio Castro e Rui Silva.

Atleta, professor, treinador e dirigente, Mário Moniz Pereira foi um homem multifacetado, tendo competido em sete modalidades. Professor durante 27 anos no Instituto Nacional de Educação Física, actual Faculdade de Motricidade Humana, Moniz Pereira liderou o Atletismo nacional como técnico e dirigente no seu clube de sempre – o Sporting Clube de Portugal, a que chamava “Universidade do Atletismo” – e, enquanto técnico nacional, esteve presente em 12 Jogos Olímpicos, 13 campeonatos da Europa e em 21 campeonatos do Mundo de Crosse, sendo responsável pela conquista de 10 medalhas, por sete atletas, entre as quais quatro de ouro.

Em 11 de Fevereiro de 2021 Mário Moniz Pereira completaria 100 anos, meta que não atingiu (faleceu aos 95). O CNID – Associação de Jornalistas do Desporto, que o recorda  com particular emoção nesta efeméride, está a preparar ações para assinalar a data.