COMUNICADO SOBRE A AGRESSÃO A REPÓRTER DA TVI

A agressão de que foi vítima ontem à noite o nosso colega Francisco Ferreira, repórter de imagem da TVI, no final do jogo Moreirense-FC Porto, é absurda, inaceitável e ignóbil. O CNID condena o ato e pede às forças policiais que tenham mais atenção a casos como este.
 
Francisco Ferreira acompanhava a saída do presidente do FC Porto, que se dirigiu a um câmara da Sport Tv de forma algo intimidatória. Foi só isso que motivou a agressão da parte de Pedro Pinho, conhecido empresário de futebol, que atingiu o nosso camarada com empurrões e pontapés, empurrando-o contra o beiral de uma bancada elevada 6 ou 7 metros sobre o campo de treinos, enquanto Francisco Ferreira procurava defender-se e proteger o valioso material de transmissão que lhe estava confiado.
 
Uma agressão absurda porque sem justificação; inaceitável porque o profissional estava em serviço e o agressor sabe de ciência segura o que é um jornalista; ignóbil porque teve consequências na saúde do profissional da TVI.
 
É inaceitável qualquer agressão e muito menos a profissionais que realizam o seu trabalho em público e em nome do público. Este é um caso em que, antes de ser presente a um juiz, o agressor deve ser condenado sem ambiguidades pela opinião pública, porque os pedidos de desculpas evitam-se. E agredir jornalistas é um crime público.
 
Francisco Ferreira sabe que pode contar com o CNID – Associação dos Jornalistas de Desporto para o que achar conveniente.
 
Lisboa, 27 de Abril de 2021
 
A Direção do CNID

AIPS pretende relatório da situação de cada país

O presidente da AIPS pediu a cada associação nacional da Europa para rapidamente produzir um pequeno relatório sobre as consequências deste segundo período de confinamento devido à pandemia de covid 19.

Realizou-se hoje uma reunião por vídeo entre a AIPS (Associação Internacional da Imprensa Desportiva) e a AIPS Europa, em que compareceram quase todas as associações nacionais do continente, entre os quais o CNID, que esteve representado pelo presidente da Direção, Manuel Queiroz.

Gianni Merlo, presidente da AIPS, disse querer conhecer com o maior detalhe possível o que se vai passando, porque “as restrições que estão a ser impostas aos jornalistas não se podem manter e não podem servir para, no futuro, condicionar a presença de jornalistas nos jogos das várias modalidades”.

Merlo anunciou ainda que a entrega dos Prémios da AIPS terá lugar no dia 22 de março, numa cerimónia apenas virtual, e que o E-College terá este ano uma forma diferente, depois de uma primeira edição que foi considerada muito interessante e teve grande êxito.

Continuar a ler

COMUNICADO

CNID condena insultos a Jornalista no Dragão

O jornalista Duarte Monteiro, do site zerozero.pt, foi sábado tratado com pouca elegância por parte do treinador do FC Porto Sérgio Conceição na conferência de Imprensa após o jogo e depois insultado repetidamente pelo assessor de imprensa Rui Cerqueira, um ex-jornalista que devia ter especiais responsabilidades na relação com os seus antigos pares.

Mais tarde, à saída do estádio, o jornalista voltou a ser insultado de forma gratuita pelo assessor de Imprensa do FC Porto, perante o silêncio complacente e cúmplice do próprio presidente do clube. Simplesmente lamentável.

Uma cena que se julgava já impossível de acontecer nos estádios portugueses, e que têm que ser denunciadas quando acontece. E quase 24 horas depois do sucedido ainda não houve um pedido de desculpas, o que se lamenta ainda mais.

Os jornalistas sabem que a sua profissão os sujeita a situações difíceis e sabem conviver com elas. A tentativa de intimidação, da parte de supostos poderes ou de quem quer agradar a certos poderes, é uma das armas mais antigas contra os jornalistas. Só que o Jornalismo tem que estar sempre acima disso e preparado para enfrentar quem o tenta silenciar. A tolerância e o respeito são pilares da sociedade democrática e de um desporto são. No desporto, ser mais forte nunca deve ser sinónimo de ser mais bruto.

P’la Direção do CNID

Manuel Queiroz

Presidente

 

Centenário de Moniz Pereira

O “Senhor Atletismo” foi também réporter e associado do CNID

Nascido a 11 de Fevereiro de 1921, Mário Alberto Freire Moniz Pereira ficou conhecido como “o Senhor Atletismo”, tal foi a importância que teve, ao longo dos seus 95 anos de existência, na e para a modalidade.

Moniz Pereira foi ainda associado do CNID durante cerca de quatro décadas, na qualidade de colaborador de A Bola, da qual foi enviado especial a Jogos Olímpicos, campeonatos do Mundo e da Europa e, ainda, a outras competições internacionais.

Dono de um poder comunicacional ímpar e de uma visão pioneira do treino, Moniz Pereira revolucionou o meio fundo português, ao ponto de se afirmar que foi “um fazedor de campeões”, entre os quais Carlos Lopes, Fernando Mamede, os irmãos Domingos e Dionísio Castro e Rui Silva.

Atleta, professor, treinador e dirigente, Mário Moniz Pereira foi um homem multifacetado, tendo competido em sete modalidades. Professor durante 27 anos no Instituto Nacional de Educação Física, actual Faculdade de Motricidade Humana, Moniz Pereira liderou o Atletismo nacional como técnico e dirigente no seu clube de sempre – o Sporting Clube de Portugal, a que chamava “Universidade do Atletismo” – e, enquanto técnico nacional, esteve presente em 12 Jogos Olímpicos, 13 campeonatos da Europa e em 21 campeonatos do Mundo de Crosse, sendo responsável pela conquista de 10 medalhas, por sete atletas, entre as quais quatro de ouro.

Em 11 de Fevereiro de 2021 Mário Moniz Pereira completaria 100 anos, meta que não atingiu (faleceu aos 95). O CNID – Associação de Jornalistas do Desporto, que o recorda  com particular emoção nesta efeméride, está a preparar ações para assinalar a data.

PRÉMIO “DESPORTO COM ÉTICA”: ABERTAS AS CANDIDATURAS

Estão abertas as candidaturas ao Prémio de Imprensa “Desporto com Ética/2020”, uma iniciativa conjunta do IPDJ (através do Plano Nacional de Ética no Desporto) e do CNID – Associação dos Jornalistas de Desporto.

O prémio visa incentivar e premiar a publicação de textos originais, na Imprensa escrita e online, que versem exclusivamente temas relacionados com a ética no Desporto, e subdivide-se em duas categorias: a) Imprensa Regional e b) Imprensa Desportiva / Imprensa Generalista.

Podem candidatar-se ao Prémio de Imprensa “Desporto com Ética/2020” jornalistas profissionais e/ou colaboradores/as de órgãos de comunicação social em língua portuguesa, com sede em Portugal Continental, nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira ou na diáspora (comunidades portuguesas espalhadas pelo Mundo).

O prazo de submissão de candidatura decorre de 1 a 31 de janeiro de 2021, aceitando-se artigos publicados entre 1 de janeiro e 31 de dezembro de 2020.

Mais informações AQUI.

Carta aos Sócios

O presidente da Direção do CNID – Associação dos Jornalistas de Desporto, Manuel Queiroz, enviou a tradicional carta aos associados, formulando votos de um 2021 bem melhor e apelando à renovação do vínculo com a nossa Associação.

A carta pode ser lida na zona lateral direita da página de entrada.