AOP festejou 32 anos no Lisboa Ginásio Clube

Os 32 anos de promoção dos valores olímpicos e de intervenção pedagógica da Academia Olímpica de Portugal (AOP) foram comemorados, em Dezembro, no ambiente saudável do histórico Lisboa Ginásio Clube.

Com um programa diversificado, muito bem estruturado, a Academia Olímpica de Portugal, presidida por Tiago Viegas, comemorou o aniversário tendo como pano de fundo o seu contributo para a construção de uma sociedade melhor, através de uma interligação irrecusável:  cidadania – desporto – valores olímpicos.

Foi neste quadro que o Prof. Dr. Joaquim Vicente Rodrigues, docente no ISCTE e presidente da Assembleia Geral do Lisboa Ginásio Clube (LGC), apresentou uma comunicação intitulada “Valores olímpicos e cidadania”, reiterando a importância dos três valores olímpicos fundamentais: Excelência – Respeito – Amizade.

Palavras de incentivo para a AOP foram proferidas também por José Manuel Constantino, presidente do COP, e pelo arquitecto Jorge Marcelo, presidente da Direção do LGC. Tiago Viegas, por seu turno, manifestou a gratidão pela qualidade destes apoios e manifestou grande vontade e empenho para que a  AOP possa percorrer sem desvios o caminho certo trilhado pelos seus antecessores.

Momento especial neste tipo de reuniões é a homenagem aos novos membros ou associados. A AOP distribuiu emblemas e diplomas aos seguintes seus novos membros: Ana Carolina Nascimento Ramos, Catarina Gomes Teixeira, José Carlos Pereira Simões, Jorge Manuel Dias Ferreira e José Germano Francisco Corroio.

Foram exibidos documentários sobre a atividade da AOP ao longo do ano de 2108 e sobre a exposição de mascotes olímpicas. Houve exibições de algumas classes de ginástica do LGC, de elevado nível técnico. A cerimónia incluiu ainda a visita à bonita e rica sala de troféus do LGC.O CNID – Associação dos Jornalistas de Desporto, que formula votos de longa vida para a AOP, esteve representado pelo secretário-geral, Murillo Lopes.



A inclusão social através do Desporto

As instalações da Cidade do Futebol, no Jamor, acolheram uma conferência europeia no âmbito do projeto SPIN (Sport Inclusion Network), financiado pelo programa comunitário “Erasmus +”. A iniciativa contou com o apoio do Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol (SJPF), membro da FIFPRO e parceiro no projeto SPIN, anfitrião em Lisboa. 

“Estará a Europa preparada para a integração de migrantes e de refugiados?”, foi o desafio lançado para debate na Conferência Europeia sobre a Integração Social dos Migrantes e dos Refugiados através da prática desportiva que decorreu em Lisboa, em 23 e 24 de Novembro de 2018).

Esta plataforma de discussão sobre a política daUnião Europeia para a integração de migrantes e de refugiados, nas sociedadesdos nossos dias, mobilizou cerca de uma centena de agentes com intervençãosocial na área do Desporto, a nível nacional e internacional.

Continuar a ler

PRÉMIO DE IMPRENSA “DESPORTO COM ÉTICA / 2018”

** Trabalhos publicados entre 1 de abril de 2018 e 31 de dezembro de 2018

Encontra-se aberto o Prémio de Imprensa “Desporto com Ética/2018”, para jornalistas profissionais e/ou colaboradores/as de órgãos de comunicação social portuguesa, com sede em Portugal Continental, nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira ou na diáspora.

O Prémio tem por objetivo incentivar e premiar a publicação de textos originais, na Imprensa escrita e on-line, versando exclusivamente temas relacionados com a Ética no Desporto, publicados na Imprensa Regional, na Imprensa Desportiva ou na Imprensa generalista.

Aceitam-se artigos publicados entre 1 de abril de 2018 e 31 de dezembro de 2018.

O prazo de candidatura decorre de 1 a 31 de janeiro de 2019.

O Prémio de Imprensa “Desporto com Ética / 2018″ é promovido pelo Instituto Português do Desporto e Juventude, IP (através do Plano Nacional de Ética no Desporto) e pelo Clube Nacional de Imprensa Desportiva/Associação dos Jornalistas de Desporto.

O regulamento e o formulário de candidatura encontram-se aqui.

CNID TOMA POSIÇÃO SOBRE AGRESSÕES A JORNALISTAS

COMUNICADO

Repórteres da CMTV e da TVI foram importunados, ameaçados, insultados e mesmo agredidos, no perímetro do Estádio da Luz, no passado domingo, antes do jogo entre o Benfica e o FC Porto. E não puderam fazer o seu trabalho como deviam. Pelo menos num dos casos, um segurança esteve perto e também não teve qualquer intervenção.

O CNID – Associação dos Jornalistas de Desporto repudia estes comportamentos degradantes e chama a atenção para o facto de estes atos poderem configurar crimes públicos, ou seja, nem necessitam de queixa para haver um processo e uma investigação.

Desde Março que a nova redação do art.º 132 do Código Penal passou a considerar crime público “as agressões a jornalistas em exercício de funções ou por causa delas”, ou seja, “susceptível de revelar a especial censurabilidade ou perversidade”. Esta alteração passou ainda pela inclusão dos jornalistas na lista de profissões com direito a “proteção acrescida”, onde já figuram membros de órgãos de soberania, entidades como o Conselho de Estado ou a Provedoria de Justiça e profissões como magistrados e advogados, agentes de execução, agentes das forças ou serviços de segurança, funcionários públicos, civis ou militares, professores e árbitros. E as imagens dos casos do passado domingo são, nalguns casos, mais do que suficientes para as autoridades poderem identificar os energúmenos. Que neste caso estavam equipados com as cores que identificavam um dos clubes, mas que estão longe de ser casos únicos.

O CNID – Associação dos Jornalistas Desportivos não ignora as dificuldades que os profissionais passam muitas vezes nestas situações e alerta para que as empresas e os jornalistas devem tomar todas as providências necessárias de forma a que o trabalho se faça em total segurança. Os jornalistas estão sempre dispostos a correrem riscos para realizarem um trabalho meritório e de interesse público, mas a norma tem que ser o respeito e a segurança, sobretudo quando se trata de desporto.

O CNID – Associação dos Jornalistas de Desporto apela ao Governo, às autoridades policiais e judiciais e também aos clubes e adeptos, para que defendam e respeitem os jornalistas, que são uma parte essencial de um regime democrático.

A Direção do CNID – Associação dos Jornalistas de Desporto

TRÊS PRÉMIOS CNID PARA RICARDINHO

O futsalista Ricardinho recebeu hoje, em Rio Maior, os troféus de “Melhor Atleta/Futebolista no Estrangeiro” relativos aos anos de 2015, 2017 e 2018.

O atleta agradeceu as distinções do CNID, que esteve representado pelos vice-presidentes Artur Madeira e Mário Martins.

Os dirigentes do CNID foram recebidos com toda a fidalguia pelo “staff” da FPF, tendo a entrega dos prémios ocorrido antes do início de um treino da seleção nacional.

FOTOS: Diogo Pinto / FPF