CNID de luto: faleceu António Castro

António Castro (na foto), jornalista, antigo presidente da Direção do CNID – Associação dos Jornalistas de Desporto (1975/1979), faleceu sexta-feira, em Lisboa, aos 84 anos. Foi ontem a enterrar.

 

A brilhante carreira profissional de António Castro ficou indelevelmente ligada ao “Diário de Notícias” (DN), onde desempenhou diversos cargos de chefia, nomeadamente, da Redacção e nas editorias de Desporto e de Fecho de Edição, com dedicação e competência dignas de registo
Natural de Lisboa, onde nasceu a 5 de Dezembro de 1935, António Castro chefiou a Redacção do jornal “Mundo Desportivo” (que entretanto deixou de se publicar, para seu profundo desgosto) antes de ingressar no “DN”.

O antigo presidente do CNID colaborou também com a “Gazeta dos Desportos”, nos primórdios de vida do trissemanário, liderado pelo jornalista e nosso associado Joaquim Queirós, respondendo pela instalação de uma Secretaria de Redacção à imagem da sua forte personalidade, da exigência e do rigor profissionais que colocava em tudo.

No CNID, António Castro deixou a marca de um homem bom, solidário, generoso, cuja afectuosidade e simpatia muito contribuíram para a integração de gerações mais jovens numa profissão aliciante mas de exigência severa e, por isso mesmo, de grande desgaste.

Continuar a ler

Faleceu Vasco Resende

Sócio-fundador do CNID, era actualmente vice-presidente da Assembleia Geral e foi o primeiro secretário-geral no Executivo da fundação do CNID, em 1966. Foi adjunto do secretário de Estado da Juventude e Desporto no I Governo Constitucional (1976-78)

O jornalista e escritor Vasco Resende, sócio-fundador do CNID, faleceu hoje em Lisboa, aos 86 anos, dez dias após tê-los cumprido, já muito debilitado (em 6 de Julho deste ano de 2020).

Nascido, criado e vivido na sua amada Lisboa, Vasco Resende era oriundo da freguesia de Santa Engrácia. Amanhã, quinta-feira, o corpo estará na Igreja de S. João de Deus, em Lisboa, onde na sexta-feira, pelas 13h15, será rezada uma missa, antes do funeral seguir para o Cemitério do Alto de S. João, onde será cremado.

Na presente data, Vasco Resende era vice-presidente da Assembleia Geral da nossa Associação, à qual dedicou, aliás, boa parte da sua capacidade criativa e interventiva. Vasco Resende foi o primeiro secretário-geral, no Executivo da fundação do CNID, em 1966.

Continuar a ler

CNID reúne Campeões de Portugal num “website” de acesso livre

O presidente da Direção do CNID discursa na cerimónia de assinatura do protocolo, sob o olhar atento do presidente da Fundação do Desporto, Paulo Frischknecht

A Direção Regional de Lisboa e Vale do Tejo do IPDJ, I.P. foi o palco escolhido para a apresentação do “website” campeoesdeportugal.pt, um projeto promovido pelo CNID – Associação dos Jornalistas de Desporto e que conta com a participação e o apoio financeiro da Fundação do Desporto e da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa. A iniciativa foi tornada pública no início da reunião do Conselho Nacional do Desporto.

O projeto visa criar na internet um sítio (campeoesdeportugal.pt) para divulgar e promover a excelência no Desporto português. O CNID diz tratar-se de uma iniciativa inédita, tanto a nível nacional como internacional, e com ela pretende assinalar os 55 anos de existência, que se completam em 2021.

Pretende-se juntar numa base de dados, aberta a todos os interessados, os nomes dos campeões olímpicos, paralímpicos, mundiais, europeus e nacionais, permitindo a fácil consulta e um diversificado aproveitamento jornalístico ou meramente informativo, a partir de qualquer parte do globo, a qualquer hora.

Manuel Queiroz e Paulo Frischknecht

Qual a razão para ser o CNID a lançar esta iniciativa? Porque os Jornalistas são parte importante da narrativa das vitórias desportivas e porque tratando-se de uma organização sem fins lucrativos, que tem apoio do Estado mas é privada, encontra-se ao mesmo tempo suficientemente distante e suficientemente próxima das confederações, das federações e dos atletas.

Naturalmente, não será possível fazer tudo ao mesmo tempo. O projeto começa pelos títulos nacionais e internacionais, alargando a recolha de informação para o nível distrital numa segunda fase.

O projeto conta com o cofinanciamento da Fundação do Desporto e da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

Continuar a ler

C O M U N I C A D O

O CNID informa que após várias diligências desta Associação de Jornalistas de Desporto e de outras entidades, a Liga Portugal compreendeu as necessidades dos Jornalistas e comunicou aos clubes o seguinte para as próximas jornadas da Liga NOS, a começar já nesta 29.ª, a decorrer:
 
– é permitida a presença junto ao relvado de 15 fotógrafos (eram 7) e de 4 repórteres de rádio (eram 3);
 
– nas tribunas de Imprensa mantém-se a obrigatoriedade de redução para um terço da sua capacidade, mas agora com um máximo de acesso a 40 jornalistas (até aqui eram 25).
 
É evidente que o CNID ainda não está satisfeito com esta alteração, mas apesar de tudo, tendo em conta as questões da pandemia, é já uma melhoria assinalável.
O CNID continuará assim a lutar para que os Jornalistas voltem a ter o acesso necessário aos jogos de futebol da Liga NOS.
 
A Direção do CNID
Lisboa, 30 de Junho de 2020

COMUNICADO

1 – Os Jornalistas das televisões TVI, CMTV e SIC foram ontem impedidos de assistir ao jogo de futebol da I Liga CD Aves-FC Porto, numa decisão injustificada seja qual for a interpretação do regulamento de retoma das competições.

2 – É tão injustificável que o repórter da TVI, pelo menos, já pôde aceder ao estádio para a conferência de Imprensa de final do jogo, até porque era ele que ia fazer as perguntas em nome da “pool” de jornalistas.

3 – Que sentido faz ir fazer as perguntas de um jogo a que não pôde assistir? Isto é uma intolerável entorse ao trabalho dos Jornalistas.

4 – A justificação é a falta de espaço da tribuna de Imprensa do Estádio do Aves, o que, obviamente, não é aceitável.

5 – Sabemos que o protocolo para a retoma do campeonato foi feito com base no documento elaborado para a Bundesliga, mas até no campeonato alemão já foram levantadas muitas das restrições ao trabalho dos jornalistas.

6 – É errado que ainda não tenha havido alargamento do número de repórteres-fotográficos com acesso aos jogos.

7 – A Liga tem tido compreensão pelo trabalho dos Jornalistas mas acreditamos que pode fazer mais, até porque a dimensão jornalística é essencial para o público, para os clubes e para os patrocinadores.

Pel’ A Direção

Manuel Queiroz
(Presidente)

Vítor Santos e Duarte Gomes vencem “Desporto com Ética”

Iniciativa do IPDJ e do CNID premiou 11 jornalistas e colaboradores

Vítor Santos [na foto], na Imprensa Regional, e Duarte Gomes, na Imprensa Generalista e/ou Desportiva, foram os vencedores do concurso de Imprensa “Desporto com Ética”, promovido em parceria pelo IPDJ, através do Plano Nacional de Ética no Desporto (PNED), e pelo CNID. Foi a oitava edição desde concurso, reportada a 2019.

Divulgamos a lista de premiados.

IMPRENSA REGIONAL

1.º prémio – Vítor Santos, pelo conjunto de seis trabalhos publicados no “Jornal do Centro”, “Via Rápida” e “Diário de Viseu”, todos de Viseu;

2.º prémio – Jorge Machado, pelo conjunto de seis trabalhos no “Entre Margens”, de Vila das Aves;

3.º prémio – Fernando Gil Pires, “Mensageiro”, de Bragança.

Foram ainda atribuídas as seguintes MENÇÕES HONROSAS (por ordem de entrada dos textos no secretariado do concurso):

– Sérgio Miguel Cardoso Mendes, “Jornal Fórum”, da Covilhã;

– Angélica Santos, “Maia em Primeira Mão”;

– João Chambino, “Barlavento, de Portimão;

– Rui Almeida Santos/Vítor Carmo (textos) com André Machado/Samuel Martins (fotos), publicados na revista “AFA Magazine”, da Associação de Futebol de Aveiro.

IMPRENSA GENERALISTA E/OU DESPORTIVA

Neste segmento, o júri decidiu por unanimidade criar um “Prémio Especial do Júri”, atribuído aos nove textos que Duarte Gomes apresentou a concurso, com mérito equivalente – seis publicados em “A Bola” e três na “Tribuna” do semanário “Expresso”.

Também por unanimidade, o júri optou não atribuir o 1.º prémio.

Os outros premiados foram os seguintes:

2.º prémio – Cláudia Oliveira, com dois textos publicados em “O Jogo”;

3.º prémio – Luís Cristovão, texto na revista “E”, do “Expresso”.

Foram distinguidos com MENÇÕES HONROSAS os seguintes jornalistas:

– Rui Almeida Santos, “Jornal de Notícias”;

– Ana Ribeiro Rodrigues, “Agência Lusa”.

O júri foi constituído pelo jornalista Alexandre Afonso (ex-Antena 1, actualmente no Canal 11), Jorge Faustino, comentador de arbitragem, e por Murillo Lopes, secretário-geral do CNID – Associação de Jornalistas de Desporto, que coordenou os trabalhos.

A entrega dos prémios está prevista para a Gala do CNID 2020, a realizar em Odivelas em data a definir, depois da marcação inicial (25 de Maio) ter sido inviabilizada pela situação sanitária do país.

_____________

O CNID felicita todos os concorrentes, desejando que na próxima edição se registe um número recorde de concorrentes – jornalistas e /ou colaboradores da Imprensa escrita e/ou online.

______

Alguns dos trabalhos premiados podem ser consultados na página do concurso.

Ilídio Torres volta a vencer “Prémio David Sequerra”

Atribuídas quatro menções honrosas

Imagem que vai voltar a repetir-se: Ilídio Torres (ao centro) vence Prémio David Sequerra

Um conjunto de textos publicados no “Jornal de Notícias de Esposende e Barcelos” permitiu a Ilídio Torres vencer a edição 2019-2020 do “Prémio David Sequerra”, concurso organizado pela Academia Olímpica de Portugal e que conta com o apoio do CNID.

Entre 12 de Janeiro e 22 de Dezembro de 2019, Ilídio Torres publicou um notável conjunto de trabalhos sobre atletas e eventos olímpicos, projectando uma memória histórica muito valiosa para a própria História da Cidadania.

O júri foi constituído por Tiago Viegas (presidente do Conselho Directivo da AOP), Cândido de Azevedo (licenciado em Educação Física e doutorado em História pela Universidade do Porto, fundador do Panathlon Clube de Santarém, com percurso na antiga DGD e no Instituto de Desportos de Macau) e pelo secretário-geral do CNID, Murillo Lopes.

Reconhecendo o interesse de outros trabalhos submetidos a concurso, versando o Olimpismo através de diferentes perspectivas, o júri decidiu, também por unanimidade, atribuir as seguintes menções honrosas (por ordem de entrada dos trabalhos no secretariado do concurso):

Ana Cargaleiro Freitas (“Voz das Misericórdias”);
António Jorge Lé (“O Figueirense”);
Angélica Santos (“Maia em Primeira Mão”);
Miguel Sampaio (“Jornal de Leiria”).

A entrega dos prémios deverá ocorrer durante a próxima sessão anual da AOP.

O conjunto dos trabalhos apresentados a concurso pelo vencedor está disponível aqui.